Porchetto Neno: um marco no Festival do Salame

porchettoPara alcançar tamanho sucesso do Festival Nacional do Salame, um trabalho intenso de divulgação é realizado meses antes, a fim de atrair os moradores da cidade e de todas as regiões do sul do país para prestigiar o evento. Até 2016, quem ajudava nesta tarefa, sendo o garoto propaganda, era Carlos Henrique Iotti, o Radicci, porém, em 2017, o festival apresentou seu novo mascote, o Porchetto Neno. 

O público presente na sexta edição do Festival foi quem o escolheu como representante. Das três ilustrações feitas por Radicci, por meio de votação, o Neno foi o que mais simpatizou com as pessoas e recebeu 422 votos. O mascote foi conhecido oficialmente durante o lançamento da oitava edição do Festival do Salame, no ano passado. De lá até então, o roteiro de visitas seguiu intenso por diversas empresas, entidades e veículos de comunicação de Marau e de outras cidades, inclusive Porto Alegre, com o objetivo de divulgar o evento e mostrar que o município está de braços abertos para acolher a todos.

Neste ano não será diferente. O Porchetto já está trabalhando para divulgar a nona edição do evento e, por onde ele passa, a alegria e as boas gargalhadas estão garantidas. Para dar início aos trabalhos, ele participou do 21º Rodeio Crioulo de Marau e permaneceu junto ao estande da Rota das Salamarias, no mês de fevereiro.

No Festival, então, o mascote promete interagir ainda mais com o público, contar novas piadas, tirar fotos e deixar sua marca registrada. Em entrevista à equipe de reportagem do Jornal Folha Regional, ele frisou que seu bom humor é um ponto forte. Além de desinibido, Neno também surpreende ao falar a língua italiana e prova que cultura e bom humor andam sempre juntos. Ele diz que se surpreendeu ao perceber que as crianças são as que mais interagem. “As pessoas gostam, fazem questão de tirar foto, até achei, pela primeira experiência, que o público mais velho faria muito isso, até porque falo italiano, mas não, é a criançada mesmo que gosta. Algumas se assustam, outras gostam, mas tem mães que mandam whats me pedindo para enviar mensagem de feliz aniversário aos seus filhos, porque eles querem o ‘parabéns’ do porchetto”, conta.

Ele relembra o carinho recebido quando visitou outras cidades e que muitas pessoas retribuem essa visita. “Este ano, com certeza o Festival terá muito mais publico, até pela divulgação. Hoje o pessoal sabe o que tem, que vale a pena, que foram incluídos mais coisas. O pessoal de fora já está entrando em contato. O pessoal que gosta do turismo vem passear, vem todo ano. É comum em cada festival encontrarmos o pessoal que visitamos”, conta.

Neno diz que este ano o público presente poderá conhecer suas novas piadas. “Já gravamos piadas para o festival. No evento também farei apresentações ao público, contando essas piadas e interagindo”, frisa.

O Porchetto é um personagem genuinamente marauense, que as pessoas podem interagir e brincar. Com relação à nona edição do evento, ele diz que a agenda deve estar lotada antes mesmo dos 30 dias que antecedem o festival, período onde se intensifica a divulgação. “A agenda é organizada, mas as vezes aparecer alguma coisa de última hora, então eu vou, o pessoal da Rota das Salamarias me avisa, sempre damos um jeito. Nos trinta dias que antecedem o festival estamos sempre em função, é corrido, mas depois bate uma saudade”, frisa.

Uma coisa é mais que certa: o Festival e o Porchetto Neno acolhem a todos de braços abertos!